da ausência

susto. acordo. aquele pesadelo. algo entre realidade e imaginação. relembro. contorço. sempre escuro. sempre em fuga. nas madrugadas, sempre estou correndo de algo. esconde-esconde. medo. pavor. então eu levanto da cama. tento a vida. sobrevivo. três horas depois, um cansaço toma todo o meu corpo. não é cansaço. sabotando a mente. não me movo, ainda que uma fugitiva ávida da própria vida. arrastada. dolorida. sem sentir. lacuna infinita. ausente de mim mesma. encarcerada no corpo.

de tempos em tempos, algo se move dentro de mim. choro. no segundo seguinte, nada para além do que os olhos enxergam. um bolo engasga na garganta. prestes a explodir. recua. o coração desacelera. engulo o grito. não me movo, contemplo o nada. como se apenas isso bastasse. eu fujo de mim. ainda que o mundo continue girando.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s