de algum dia

Venho acordando meio Clarice ultimamente. Em alguma espécie de transe existencial em que, se pudesse, passaria o dia escrevendo meus imediatamentes cotidianos. Do excesso de lucidez que meus olhos têm refletido. Esse risco que a gente corre quando deixamos tudo ao redor e nos colocamos no vazio. Sinto-me vazia o suficiente para ter a certeza de que a falta de sentires me deixa mais forte. Feito uma muralha – daquelas construídas com as pedras mais resistentes. Dura. Fria. Enrijecida. O pragmatismo da escrita denuncia um pouco meu estado. As palavras cruas e nuas. Reais. Ainda que tudo gire em torne das fantasias que tomam meu corpo. A mente. O coração que dilacera. Lentamente.

Advertisements

4 thoughts on “de algum dia

  1. Estamos todos assim meio que auto declarantes jogando pro mundo as coisas que não se encaixam. Que sua muralha tenha ótima fundação para suportar todas as tormentas que chegarem a sua base. Ótimo inicio de semana! 🙂

    Liked by 1 person

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s